Coisas de Menininhas

Archive for janeiro 2010

exemplo de fantasias para halloween

Como todo bom brasileiro curte uma “festinha”, não é atoa que as comemorações de Carnaval se tornaram super famosas no Rio de Janeiro a nível mundial, apesar de a sua origem ser, na verdade, italiana. A comemoração que surgiu por volta de 1870 e geralmente acontece no mês de Fevereiro, se trata de um evento que iniciou na época da Idade Média, aonde as pessoas trajavam fantasias, máscaras e acessórios feitos à mão e bem decorados e agiam de forma que jamais fariam no seu dia-a-dia. Em resumo, soltavam a franga mesmo!

Com o sucesso do Carnaval, as festas à fantasia passaram a ser cada vez mais frequentes e não necessariamente ocorriam em Fevereiro. Com isso, o número de festas do estilo se proliferaram a nível mundial, surgindo diversos tipos de comemorações. Uma delas é o Halloween – dia das bruxas – aonde os convidados devem trajar fantasia de bruxa para comer doces. A prática se tornou muito comum nos Estados Unidos, movimentando muito dinheiro no mês em que é realizada: Outubro.

A partir dessas datas comemorativas, as pessoas buscaram outras motivações para realizar novas festas à fantasia. Hoje em dia qualquer motivo ou até mesmo uma festa de aniversário propoem temáticas para que os convidados compareçam vestindo algum tipo de fantasia ou encarnando algum personagem da música, teatro, cinema, desenhos animado e televisão. São encontros divertidos e tradicionais que já fazem parte da história de muitos países, como o Brasil.

Assim que já sabem meninas: se for aniversariante no mês de Janeiro ou qualquer outro mês do ano, essa pode ser a sua temática para uma festa irreverente. As fantasias e artigos para festa podem ser encontrados em lojas como a Folias e Fantasias. A temática também pode ser roupas de uma só cor (rosa, preto, branco, cor fluorescente)  ou ao maior estilo clubber, com roupas super coloridas e até mesmo brincando com os acessórios ou usando o par de tênis de cores e marcas diferentes. Solte a sua criatividade!! É o que vale.

Anúncios

Geralmente quando pensamos em comprar uma máquina fotográfica, logo associamos e pensamos nas câmeras digitais das pessoas que conhecemos: x megapixels, todos usam tal marca, a mais cara é a melhor, enfim. Isso apenas causa confusão na hora de ir para a loja escolher o modelo. Mas, e então, como se faz para escolher o melhor modelo e marca de câmera digital entre tanta variedade?

A primeira coisa que todos devem saber é que a quantidade de megapixels não influencia no resultado final da fotografia tirada, só se você for ampliá-la para imprimir. Aquela leve impressão de que a nitidez da imagem foi causada pelo megapixel é totalmente errada. Os fatores que influenciam na qualidade final da imagem refere-se a sensiblidade e a luminosidade. Afinal, o que é isso?

A sensibilidade e a luminosidade de uma câmera quer dizer a capacidade de iluminação em fotos internas, ou seja, dentro de casa ou ambientes onde a luz natural é fraca. A iluminação natural da câmera deve ser boa, permitindo que o flash não estrague a imagem, sendo assim, nem sempre é necessária a utilização do flash. É comum vermos fotografias tiradas com máquinas digitais saírem um pouco borradas ou escuras por causa da falta de recursos existentes nos equipamentos profissionais.

Quando for escolher a sua câmera digital, faça testes utilizando mais de uma marca e modelo de máquina, no mesmo foco. Isso te permitirá fazer combinações de nitidez das imagens e iluminação. Na prática, uma câmera de 12 megapixels pode ter o mesmo efeito de uma de 5 megapixels, se a utilidade dela for apenas por lazer, mas a câmera de 12 megapixels pode ter sensibilidade e iluminosidade superior, ou ao contrário.

Antes de comprar, veja quais são as suas reais necessidades, quais são todas as funções que cada máquina oferece (bateria ou pilha, grava video e áudio, mp3, memória) e esqueça os megapixels antes dessa análise. Segue abaixo alguns dos melhores modelos: Fujifilm, Canon Powershot, Sony Cybershot, Nikon Coolpix e Olympus.






Gostou de algum modelo? Pesquise mais informações sobre as funções que você quer que a sua câmera tenha no site

Fotografarvenderviajar e compare preços no Buscapé (câmera digital). Assim você faz a escolha certa e ainda economiza uma boa grana para investir em outros acessórios ou simplesmente guardar.

Com tanta tecnologia presente na realidade atual, é difícil não haver dúvidas sobre a compra online. E é por isso que apresentamos 10 belos mitos do e-commerce:

01) “Não quero comprar nada na internet porque dizem que não é seguro utilizar cartão de crédito”. Procure um site que seja seguro e famoso. Mas, se as dúvidas persistirem, também dá pra pagar com o saldo da PagSeguro, boleto bancário, cheque ou o melhor: por cobrança – ou seja, você paga apenas quando a encomenda chegar em sua casa ou nos correios.

02) “E-commerce é coisa pra jovens“. Engana-se quem pensa isso. Atualmente há conteúdos exclusivos para pessoas da terceira idade e os adultos estão tão presentes quanto os jovens.

03) “Dizem que há pessoas que compraram e não receberam o produto”. Com certeza, o site não é lá muito confiável. Procure lojas que tenham certificados e seguro, mas que também sejam conhecidas nacionalmente ou internacionalmente, isso gera mais credibilidade. Segundo o Índice e-bit/PwC de Comércio Eletrônico no Brasil, em pesquisa realizada em dezembro de 2003, 69% dos consumidores ficaram muito satisfeitos com o prazo de entrega de suas compras realizadas pela Internet.

04) “Comprei um produto e ele demorou horrores pra chegar.” Será que foi verificado se o produto chegou no prazo estimado (ou perto disso) e você não ficou um pouco apressadinha? Pode ser também que tenha ocorrido algum problema e você tenha que buscar a encomenda nos correios ou que o site tenha entrega em horários limitados (por exemplo, não entregam de noite ou –fins-de-semana). Caso não, hesite em voltar a utilizar o serviço em questão.

05) As lojas virtuais só entregam nos grandes centros urbanos. Mito! 86% das lojas online entregam em todo o Brasil.

06) “Os consumidores virtuais estão desprotegidos porque não existe uma lei para socorrer o consumidor online”. Segundo o Procon, o Código de Defesa do Consumidor continua sendo totalmente aplicável às dúvidas do comércio online.

07) “E se o produto que eu quero é provável? Corro o risco de não servir e não poder fazer nada?” Verifique quais são as lojas seguras que oferecem serviço de troca antes de sair fazendo compras. Há links geralmente chamados “políticas de se segurança e privacidade’’. Caso não encontre, o melhor é tentar pela sorte ou reservar as suas compras online para produtos não prováveis (cd’s, livros, eletrônicos, etc).

08) “Os meus dados vão circular por todos os lados e eu nunca mais vou ter sossego”. Que mania de perseguição hehe. Bom, sempre tem aqueles malas que te enviarão propagandas sem a sua solicitação, mas ninguém vai te perseguir pro resto da sua vida. O que você pode fazer se tiver dúvidas na hora de realizar a sua compra, é de certificar-se no site da loja, quais são os termos em que podem ser utilizados os seus dados pessoais, caso não lhe agrade, procure outra loja. Com certeza a maioria das pessoas não lêem termos e contratos.

09) “Na internet, é tudo mais barato.” Errado. O que a Internet permite é, muitas vezes, encontrarmos produtos ou serviços que, de outra forma, seria impossível obter. Mas o fator preço nem sempre é decisivo. Muitas vezes o preço é menor na rede para que possa ser calculado o valor do frete e a pessoa não tenha que pagar um preço absurdo pelo produto que quer. Mas, o que atrai os consumidores para a rede são os descontos e promoções que raramente vemos em lojas físicas.

10) “Se eu passar horas vasculhando todas as lojas virtuais, encontrarei o melhor preço”. Belo mito. Bons sites de compra online oferecem o serviço de comparação de preços, ou seja, você confere diversos preços e lojas para um mesmo produto e escolhe o que mais lhe couber. Passar horas navegando na rede, não te fará encontrar o melhor preço, pois o valor do frete pode ser maior do que outros sites.

Conversamos com alguns consumidores. O que eles têm a dizer?

Para Thaís Chaves (22), do Rio de Janeiro, que até hoje só realizou compras de ingressos para shows e teatro na rede, não há reclamações a serem feitas. “As vezes pode demorar um pouquinho, mas a encomenda sempre chega”.

Para Marcela Duarte (16), de Minas Gerais, que consome diversos tipos de produtos em sites nacionais e internacionais, é tudo uma questão de encontrar a melhor loja e condições, sobre a entrega, ela afirma: “chega até antes mesmo do prazo”.

Procuramos também os meninos: “Nunca tive medo de consumir produtos prováveis, como roupas e calçados, mas nunca tive interesse, creio que por falta de uma variedade maior e não por medo de não servir e não poder trocar’, no mais, nunca tive problemas também”, afirmou Felipe Silva (15), do Paraná.

Se lhe interessa realizar compras online, mas não sabe quais lojas são interessantes e confiáveis, não desista, nós temos algumas opções pra você: Buscapé, Bondfaro, Submarino.


Categorias